quinta-feira, 4 de julho de 2013

Jesus não morreu em uma sexta-feira!

Nos deteremos neste assunto não porque seja importante provar qual foi o dia da morte de Jesus e sim para mostrar a inerrância da Palavra de Deus que profetizou o dia da morte do Emanuel como também da Sua ressurreição. E, se foi falado por Jesus, categoricamente, em três dias e três noites, por que querem alterar este calendário com argumentos fora do contexto? Todos os dias citados aqui são de 24 horas e não menos que isto. Desta forma comprovamos que Jesus foi para o túmulo no findar do dia 14 e início do dia 15, lá ficou nos dias 15, 16, 17, TRÊS DIAS E TRÊS NOITES, ressuscitando no início do dia 18, primeiro dia da semana, pois Ele é as primícias dos que dormem.    

Vejamos bíblicamente todos os textos correlatos que tratam da morte e ressurreição de Jesus.

Primeiramente veremos no A.T. textos figurativos aos acontecimentos da paixão de Cristo.

Em Êxodo 12: 1 a 28 e Levítico 23: 1 a 14

Lembremos que o dia do israelita começava no crepúsculo, entardecer, quando o sol se punha.

Lembremos que SÁBADO, para o Senhor, era tanto o da semana sequencial, após o sexto dia de trabalho,  quanto os predeterminados em diferentes datas do ano que caíam em dias variados da semana. Todos estes SÁBADOS também chamados SANTAS CONVOCAÇÕES= FERIADOS 

Lv 23: 3 - Sábado após o sexto dia: "Seis dias trabalhareis, mas o sétimo será o SÁBADO do descanso solene, SANTA CONVOCAÇÃO; nenhuma obra fareis; é sábado do Senhor em todas as vossas moradas.   
Lv 23: 4 - São estas as festas fixas do Senhor, as SANTAS CONVOCAÇÕES, que proclamareis no seu tempo determinado...
Lv 23: 27 Mas, aos dez deste mês sétimo (10/07), será o Dia da Expiação; tereis SANTA CONVOCAÇÃO...(v.32) SÁBADO de descanso solene vos será...aos NOVE DO MÊS, de uma tarde (09/07) a outra tarde (10/07), celebrareis o vosso SÁBADO.
Lv 25: 4 Porém, no sétimo ano, haverá SÁBADO de descanso solene para a terra, um SÁBADO ao Senhor; não semearás o teu campo, nem podarás a tua vinha. (Feriado para a terra por um ano).

Assim entendemos que nem todo SÁBADO ERA EXATAMENTE O SÉTIMO DIA DA SEMANA.

Iremos agora apenas seguindo as orientações que o Senhor dá ao Seu povo através dos versículos bíblicos.

Lv 23:4...São estas as festas fixas do Senhor, as santas convocações (feriados)...(v.5) no mês primeiro, aos catorze do mês, no crepúsculo da tarde, é a Páscoa do Senhor (14/01 ao entardecer). Obs. este dia não era feriado até ao entardecer, quando então comeriam o cordeiro da páscoa. O dia seguinte, que começava, neste entardecer, era feriado. (15/01).  

 Lembremos que esta data, a cada ano, cairia em um dia diferente da semana assim como nossos feriados hoje, pois, os meses do calendário judaico também tinham número de dias variados, semelhantes aos nossos.

(v.6) E aos quinze dias deste mês é a Festa dos Pães Asmos do Senhor ( 15/01) (v.7) No primeiro dia tereis santa convocação (feriado)...ao sétimo dia tereis santa convocação (21/01) (também seria um feriado).  

(v.10b)... então, trareis um molho das primícias da vossa messe ao sacerdote,...(v.12) ...no dia imediato ao sábado (nosso domingo ou primeiro dia da semana), o sacerdote o moverá.
Este verso é uma prefiguração da ressurreição de Jesus no primeiro dia da semana. Ele, que é as primícias dos que dormem (I Co 15: 20). 

Em Êxodo 12: 2 e 3 Este mês vos será o principal dos meses; será o primeiro mês do ano...Aos dez deste mês (10/01), cada um tomará para si um cordeiro...(v.5)sem defeito...(v.6)e o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês (14/01)...o imolará no crepúsculo da tarde...(v.8) naquela noite(15/01- pois começou um novo dia), comerão a carne assada no fogo; com pães asmos e ervas amargas a comerão.

Vejamos agora no N.T. a narrativa dos Evangelhos quanto aos acontecimentos antecedentes à Jesus na cruz.

João 12: 1 Seis dias antes(09/01) da Páscoa(14/01) foi Jesus para Betânia...(v.3) então Maria...ungiu Jesus...(v.12)No dia seguinte(10/01- dia em que separavam o cordeiro, sem defeito, da páscoa), numerosa multidão...(v.13)clamando: Hosana! ( O Cordeiro Perfeito é separado, PELO PAI,  para nossa substituição, por isso, louvam  e exaltam-No quando Ele entra em Jerusalém montado em jumentinho).

Mateus 26: 2...daqui (12/01) a dois dias, celebrar-se-á a Páscoa (14/01)

Marcos 14: 1 Dali (12/01) a dois dias era a Páscoa(14/01) e a Festa dos Pães Asmos ( 15 a 21/01 onde dia 15 e 21 seriam feriados).

Lucas 22: 1 Estava próxima a Festa dos Pães Asmos, chamada Páscoa (14 a 21/01- pois toda a festa tinha nome de Páscoa também).

João 13: 1 Ora, ANTES(13/01) da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a Sua hora...amou-os até ao fim. (v.2) Durante a ceia (à noite, no início do dia 14/01)...(v.21)um dentre vós me trairá...(v.26) é aquele que Eu der...pão molhado...(v.30)ele (Judas),tendo recebido o bocado,saiu logo. E era NOITE(no início de 14/01- Páscoa).

Mateus 26: 17- 20 No primeiro dia da Festa dos Pães Asmos ...onde queres que te façamos os preparativos para comeres a Páscoa...O meu tempo está próximo...Chegada a tarde, pôs-se Ele à mesa com os 12 discípulos...(v.31)...(Obs: Se esta páscoa estava pronta no cair da tarde, iniciando o dia 14, então ela foi preparada durante o dia 13/01). ..(v.31) esta noite (14/01), todos vós vos escandalizareis...

LEMBREMOS QUE JESUS ESTAVA INSTITUINDO A NOVA ALIANÇA, POR ISTO CELEBROU A PÁSCOA COM OS DISCÍPULOS NO COMEÇO DO DIA 14 E NÃO NO FIM COMO ERA O MANDAMENTO (Mt 9:16 "Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho; porque semelhante remendo tira parte do vestido, e faz-se maior a rotura." Lucas 5: 38 "...mas vinho novo deve ser deitado em odres novos.") AGORA O PÃO E O VINHO SERIAM REFERÊNCIAS DO NOVO PACTO E NÃO MAIS UM CORDEIRO, POIS, ESTE SERIA O PRÓPRIO MESTRE UMA VEZ PARA SEMPRE.  NO FINAL DO DIA 14 ELE ESTARIA SENDO LEVADO PARA O TÚMULO CUMPRINDO ASSIM  DE VEZ, TODA A PROFECIA A SEU RESPEITO.

Lucas 22: 39 E, saindo, foi, como de costume, para o monte das Oliveiras...(v.54) prendendo-O, O levaram...(v.66)...logo que amanheceu(14/01)...Lucas 23:1...levaram Jesus à Pilatos...(v.7) a Herodes...(v.11) O devolveu a Pilatos...(v.25) O entregou à vontade deles... Marcos 15: 25 Era a hora terceira (14/01 às 9 horas da manhã), quando O crucificaram. 

João 18:28 ...levaram Jesus da casa de Caifás para o pretório (lugar de julgamento). Era cedo de manhã (14/01). Eles ( judeus religiosos) não entraram no pretório para não se contaminarem, mas poder comer a páscoa (obs: COMER AO entardecer, findando o dia 14/01,  segundo o mandamento = Êxodo 12: 6).

João 19:14 E era a paraceve pascal,  CERCA da hora sexta (Obs: João diz que era cerca e não exatamente 12 horas do dia, pois assim contradiria informações de Marcos).

Lucas 23: 44 Já era quase a hora sexta ( 12 horas do dia), e, escurecendo-se o sol, houve trevas sobre toda a terra até à hora nona ( 15 horas).

Mateus 27:46 Por volta da hora nona (15 horas) clamou Jesus (v.50) entregou o espírito.

João 19: 31...os judeus, para que no sábado( 15/01- feriado) não ficassem os corpos na cruz, visto como era a PREPARAÇÃO, pois era GRANDE o dia daquele sábado (pois desde o anoitecer do dia 14/01 e início do dia 15/01 deveriam estar comemorando a Páscoa e a Festa dos Pães Asmos por 7 dias). 

Marcos 15: 42 Ao cair da tarde (14/01), por ser o dia da PREPARAÇÃO, isto é, a véspera do sábado (15/01 - feriado), vindo José de Arimatéia... O depositou em um túmulo.

Lucas 23: 55 As mulheres...viram o túmulo...(v.56)Então, se retiraram para preparar (16/01) aromas e bálsamos.(obs: não no dia 15 pois era santo ao Senhor, feriado, e não poderiam trabalhar).  E no sábado (17/01), descansaram, segundo o mandamento.

Marcos 16:1 e 2 Passado o sábado (15/01), Maria...compraram aromas (16/01) para irem embalsamá-Lo.  
E, muito cedo, no primeiro dia da semana (18/01)...foram ao túmulo...(v.6) Ele ressuscitou,...

Percebemos que se unirmos os dois últimos textos as informações se completam:

As mulheres...viram o túmulo(final do dia 14/01)...Então, se retiraram ...Passado o sábado(15/01)...compraram aromas e bálsamos para prepará-los(16/01)...E no sábado(17/01) descansaram...E muito cedo, no primeiro dia da semana(18/01)...foram ao túmulo...Ele ressuscitou... 

Mateus 27: 62-66 No dia seguinte (15/01 - feriado), que é o dia depois da preparação (14/01), sacerdotes...dirigindo-se a Pilatos...que o sepulcro seja guardado ...até o TERCEIRO dia, para não suceder...montaram guarda ao sepulcro. 

Mateus 28: 1 No findar do sábado( 17/01- sétimo dia da semana), ao entrar o primeiro dia da semana(18/01 - domingo)...Ele não está aqui, ressuscitou, como tinha dito...

Marcos 16:2 ...muito cedo, no primeiro dia da semana (18/01)...Ele ressuscitou...

Lucas 24:1 ...no primeiro dia da semana (18/01), alta madrugada, foram elas ao túmulo...ressuscitou...

João 20:1 No primeiro dia da semana (18/01)... de madrugada, sendo ainda escuro...era necessário ressuscitar...

Mateus 12:40 pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.

João 2: 19 Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei.

Concluímos:

Jesus foi colocado no túmulo em uma quarta-feira, ficou no ventre da terra quinta,sexta e sábado e no primeiro dia da semana, domingo, ressuscitou. Ele tem as chaves da morte e do inferno. ALELUIA!!!

Assim, todo o calendário do Senhor no V.T. se cumpriu rigorosamente como havia predito. 






sábado, 2 de fevereiro de 2013

Os galileus e a torre de Siloé Lucas 13: 1 a 5

Ficamos profundamente consternados diante dos acontecimentos deste último domingo. Nos colocamos no lugar dos que perderam seus familiares e também choramos.

Vemos a mídia se preocupando intensamente em consultar os mais variados profissionais para que tal tragédia não se repita. Orientam a população para que salvem suas vidas se passarem por situações semelhantes. Ensinam a escapar da morte mas não sabem ensinar a escapar do inferno.

Certa vez vieram a Jesus para Lhe contar sobre a drástica morte de alguns galileus por ordem sádica de Pilatos.

Jesus, sem fazer rodeios disse: "... Se não vos arrependerdes todos igualmente perecereis". Ainda acrescentou o fato do acidente com a torre de Siloé onde dezoito pessoas morreram e de novo Ele diz: " Se não vos arrependerdes igualmente perecereis"

Por que Ele é tão enfático? Porque Ele vê o que não vemos: a trajetória da alma humana, que é eterna.

Será que se pudéssemos contemplar onde estão as almas dessas vítimas deste incêndio as imagens seriam menos aterrorizantes do que o que vimos na TV?

O Senhor nos chama ao ARREPENDIMENTO! É de suma importância nos prepararmos para a morte que não vem em ordem cronológica. Estar EM JESUS é estar salvo do inferno eternamente.

Meu querido jovem cristão lembre-se do primeiro salmo. Não ande, não se detenha e não se assente na roda dos escarnecedores.

Esteja preparado para partir a qualquer momento que Deus lhe chamar. Não pereça mas viva eternamente. Amém!!!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O VÉU E SEU USO NA IGREJA

"O véu e seu uso na igreja" - I Coríntios 11: 1 a 16

Fiquei curiosa em saber o porquê de algumas congregações adotarem o uso do véu pelas mulheres e outras, na sua maioria, não. Já assisti vídeo de coral da igreja Assembléia de Deus da Itália no qual as cantoras estão usando véu. Lembro-me que em pequena, via minha avó ir às missas e procissões portando véu bem como suas amigas.

Já por mais de uma década este assunto me tem incomodado. Li e reli  I Coríntios 11 muitas e muitas vezes.

Percebi que os homens estão corretíssimos em suas posturas quando em adoração ao Senhor no meio da congregação. Eles cumprem o que está escrito no verso 4. Nunca vi, em meus 55 anos de igreja evangélica tradicional, varão orando com chapéu ou algo sobre sua cabeça. Obedecem ao que lhes é ensinado na Palavra ainda que nem tenham consciência disto. Se um homem cobrir a cabeça ao orar, segundo o versículo citado, desonra sua própria cabeça que é Cristo ( v. 3 e 4). 

 Já são quase dois mil anos deste ensinamento através do apóstolo Paulo, o imitador de Cristo ( v.1). Ele e demais irmãos judeus convertidos ao Senhor, tiveram que abandonar a prática de cobrir a cabeça ao orar. Por que? Para não desonrar Cristo. Será que lhes foi fácil renunciar tal costume praticado desde a infância? É bom lembrar que até os dias atuais o judeu faz uso do quipá quando em rituais religiosos.

Vejamos se nós mulheres estamos observando a Palavra, visto que  dizemos ser Ela  nossa única regra de fé e prática.

Segundo Paulo, ungido pelo Espírito Santo para nos ensinar, quais os motivos para o uso do véu?

Encontrei 9 (NOVE) motivos:

1- Por sermos imitadoras de Jesus e consequentemente de Sua soberana vontade. ( v. 1)
2- Por retermos as tradições dos apóstolos. ( v. 2)
3- Por ser o homem nosso cabeça ( v.3)
4- Para não desonrar o homem, nosso cabeça ( v. 5)
5- Por sermos glória do homem ( v. 7)
6- Por termos sido feitas do homem ( v. 8)
7- Por termos sido criadas por causa do homem ( v. 9)
8- Por causa dos anjos, como sinal de autoridade ( v. 10)
9- Por não sermos contenciosas ( v. 16)  

Paulo está sendo bem claro que, NO SENHOR, não há nenhuma relação de subserviência da mulher para com o homem ( vs. 11 e 12), ou seja, a mulher não é menor.Todos, homens e mulheres, somos igualmente importantes para nosso Deus.

Vem então a pergunta que não quer calar:

Diante de todas estas explicações bíblicas ainda podemos achar que  nós, cristãs, não mais  usamos o véu por causa de USOS E COSTUMES?

Certamente que não.

 Entendi que lá no passado, contenciosos(as) não deram importância que este "sinal" fosse demonstrado no ajuntamento dos irmãos. A verdade espiritual, que deveria estar sendo expressada através deste ato de obediência à Palavra, deixou de ser proclamada. O sinal visível ( o véu ) de uma graça invisível ( o homem como o cabeça da mulher ), foi retirado. A Igreja, testemunha de Cristo no mundo, sal e luz, "desliza" em sua incumbência de demonstrar, de forma explícita, o querer do Senhor.

 Reconhecer que  somos parte mais frágil (I Pe 3: 7) e admitir  o varão como cabeça é redoma de segurança, proteção e inviolabilidade. Vemos no verso 10 que o uso do véu é sinal de autoridade perante anjos.  Se nos retiramos desta posição, querendo nos assemelhar ao homem, damos lugar ao diabo. Ele passa a ter direito sobre nós pois ficamos violáveis aos seus ataques.

 A Igreja, abrindo mão deste sinal, permitiu que se acelerasse a intromissão de satanás nas famílias. Brechas foram abertas para o inimigo de nossas almas sutilmente agir. Ao longo de dias, meses,anos e séculos os valores que traziam a harmonia e equilíbrio lentamente se inverteram. No mundo, a mulher buscou com todas as forças, através do movimento feminista, sua "libertação". Hoje os lares estão esfacelados.

Ficará muito longa esta consideração se formos detalhar cada uma das nove razões para o uso do véu.
Convido você minha querida "colega", esposa de pastor, a meditar com dedicação sobre este assunto lendo muitas vezes o ensinamento de Paulo.
Convido você, querida irmã em Jesus, a se reunir com mulheres piedosas e compartilharem o texto acima; orarem sobre o querer de nosso Deus nos atuais dias.

Verificamos na Palavra que grandes homens foram instrumentos do Senhor para rever  verdades espirituais esquecidas. Em II Crônicas 29 o rei Ezequias abriu as portas do Templo que estavam fechadas, o purificou e restabeleceu o culto a Deus com a celebração da Páscoa. "Houve grande alegria...porque desde os dias de Salomão...não houve coisa semelhante em Jerusalém."(II Cr 30: 26);  o rei Josias em II Cr 34  faz grandes reformas ao achar o Livro do Senhor. "Nunca se celebrou tal Páscoa desde os dias do profeta Samuel..." (II Cr 35: 18); Esdras e Neemias igualmente levaram o povo de volta ao Livro do Senhor e assim   obedeceram à Sua ordem quanto à Festa dos tabernáculos. "Acharam escrito na Lei que o Senhor ordenara por intermédio de Moisés que os filhos de Israel habitassem em cabanas, durante a festa do sétimo mês;...porque nunca fizeram assim os filhos de Israel, desde os dias de Josué, filho de Num, até àquele dia; e houve mui grande alegria. Neemias 8: 14 e 17

Parafraseando:

...houve grande alegria na igreja entre as mulheres, pois nunca, desde os dias de (???), haviam colocado o véu sobre suas cabeças ao orarem, como lhes era ordenado no Livro do Senhor através do apóstolo Paulo...


Não seríamos alegres mulheres se voltássemos à práticas esquecidas da Palavra? Voltar com entendimento, lucidez, sabendo o porquê de tal retorno; testemunhar na congregação através do sinal, o véu, que nos submetemos ao ensino do Senhor para o nosso bem e consequentemente não desonrando nosso cabeça.

Eu, particularmente, uso o véu quando oro no secreto do meu quarto ao Senhor que está em secreto, pois fazê-lo na congregação, sem um esclarecimento aos presentes, certamente causará escândalo.

Mas, tenho sonhado em ver esta verdade resgatada em nossos corações e consequentemente aplicada de modo visível no ajuntamento cristão.

Que Deus nos abençoe e nos dê a oportunidade de restaurar esta verdade em nosso meio.

 Amém!!!



 


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

AS MÃOS DE DEUS

  • "...e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos..." Isaías 43: 13

  • Olhando esta Palavra pela ótica de Jó, antes que seus olhos fossem abertos ( Jó 42: 5), diríamos:

  • - Senhor, Tuas pesadas mãos estão me machucando.

  • Mas, olhando com os  mesmos olhos de Jó após o conhecer a Deus só de ouvir, diremos:

  • - Senhor, Tuas formosas mãos estão me moldando. Completa então Tua obra e regozija-Te nela. Glorifica o Teu nome.

  • Que assim seja em nossa vida. Deixemos as gentis mãos de nosso Amoroso Deus, o Supremo Artesão, fazer o que melhor achar a nosso respeito. Assim a Paz transbordará no nosso interior mesmo  em meio a ondas bravias.


Amém!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

P U R G A T Ó R I O ?

Após anos de dúvidas  em alguns textos da Palavra, finalmente me veio às mãos um livro de um fiel servo do Senhor que muito me esclareceu.

À primeira vista parece até heresia, "soa muito estranho aos ouvidos". Não estamos acostumados com tais explicações pois, fomos doutrinados, quanto a este assunto que vamos repartir, sem conferir pessoalmente e criteriosamente na Palavra como os Bereianos. Mas, depois de "ruminar", "mastigar" o conteúdo, conferindo as passagens bíblicas, comparando texto e contexto, cada vez mais o "quebra-cabeça" vai se formando, encaixando as peças e surgindo o quadro final que tanto desejamos ver. 

Sou apenas uma estudante da Bíblia com verdadeiro desejo de vivê-la em realidade como o Senhor Jesus requer; meu intuito não é especulá-la e sim compreender, com maturidade, o que nosso Mestre quer que saibamos para ter "as faculdades exercitadas para discernir tanto o bem quanto o mal" (Hb 5:14). É bom então passar à frente o que aprendi para que os irmãos tenham, como eu, oportunidade de examinar melhor este tema.  

Vocês, meus queridos irmãos, podem apenas ler em suas Bíblias, dez, vinte, trinta vezes cada texto citado abaixo, chegando `as suas próprias conclusões. Não precisam considerar as minhas; basta meditarem com perseverança e determinação em cada porção da Palavra, pedindo ao nosso Professor por excelência, o Espírito Santo de Deus, que  os instrua na Verdade, tão somente Nela.  Vocês  verão que jorrará no  interior o entendimeto claro do que Jesus quer nos contar a respeito de "cousas ocultas que não sabemos" ( Jr 33: 3) mas, precisamos saber, senão o Senhor nos dirá: "Errais não conhecendo as Escrituras..."( Mt 22: 29).

Passarei a registrar aqui os diversos versículos que me inquietavam por não ter uma explicação clara quanto ao real sentido deles.

Mateus 5: 21 a 26 - É um texto que fala dos da família da fé. A palavra irmão é usada muitas vezes. Fala de uma prisão para se ficar até que a dívida seja paga. Essa dívida não é monetária e sim espiritual, quando o valor desta é em "cifra" perdão. A explicação que me davam, e eu a repassava, é que esta prisão é emocional, perda da paz, até que se retrate com o irmão. Seria  apenas isto mesmo?    

 
Mateus 5: 29 e 30. Sabemos que a Bíblia foi escrita para nós que a lemos, como luz para os nossos caminhos, e não para o ímpio que não a lê. Jesus nos adverte a "amputarmos" qualquer situação (tropeço) que nos dê prazer aqui neste mundo e ao mesmo tempo nos afaste Dele, pois corremos o sério risco de ir para o inferno, em corpo ( após ressurreição), se persistirmos na desobediência. Se a Palavra é para salvos, como há o risco de ir para o inferno? Essa era a minha dúvida também.

Mateus 13: 47 a 50 - Nesta parábola Jesus nos mostra o mesmo contexto de outras que veremos à frente. A separação qualitativa, bons e ruins, bons e maus, néscias e prudentes, está sempre imperando para entendermos a necessidade de seriedade para com Ele e tudo o que diz respeito ao Seu reino. Do contrário, há uma consequência danosa constante  nas  falas do Mestre: inferno, trevas, fornalha acesa, choro e ranger de dentes.
Reparem que ainda ficou peixe no mar. Os recolhidos ( eleitos ),de toda espécie, até que se enchesse a rede ainda serão separados. A explicação do Mestre, "Assim será..." leva-nos a entender que muitos vem para o Evangelho de Jesus mas, nem todos O seguem com verdadeira devoção, daí receberem a "recompensa" na consumação do século, até que aprendam a valorizar o Presente da Salvação, Jesus Cristo. 

Mateus 18: 23 a 35 - Esta parábola nos fala de um acerto de contas de um rei com seus servos. Jesus a  encerra dizendo para entregar o malvado servo aos verdugos ( pois foi perdoado de uma grande dívida para com o rei e não perdoou uma pequena de seu conservo), até que pague toda a dívida. No vs 35 Jesus diz: "Assim também, meu Pai Celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão". Creio que  está bem explícito que, no tribunal de Cristo, corremos o risco de sofrer uma punição, por um tempo determinado, ATÉ QUE paguemos nossa dívida com Deus, o Pai. A menos que... a parábola seja apenas uma "historinha"... não sendo necessário levá-la tão a sério.  


Mateus 22: 11 a 14 -  Esta é a parábola das bodas. Diz respeito ao arrebatamento (ressurreição) da Igreja. Na feliz reunião havia alguém sem vestes apropriadas para o momento, por isso foi impedido de ali permanecer; teve um destino triste e horripilante. Esta passagem não nos lembra  as anteriores? É como alguém, por exemplo, que parte desta vida, após receber o perdão de Deus, retendo perdão para o irmão. Ele não está devidamente vestido no que diz respeito às vestes espirituais; ele não lançou de si o que o fazia tropeçar, não se "amputou". Por não se preparar devidamente para  o encontro com o Senhor, não poderá permanecer em Sua Presença, e assim terá sua punição como o Senhor nos tem falado repetidamente. 
No vs 14 diz: "Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos", entendemos que  muitos dos chamados não estão correspondendo a tão grande salvação enquanto poucos estão sendo recíprocos ao amor de Deus. Estes  reinarão com Cristo pois foram fiéis ao chamado e Àquele que os chamou. Aqueles não reinarão, estarão longe da doce Presença do Senhor. 


Mateus 25: 1 a 13 - A parábola das dez virgens. Não podemos ignorar que TODAS eram virgens, as dez. A metade delas estava preparada para a chegada do Noivo mas a outra metade NÃO. Não entraram na festa, e o mais triste é ouvir do Noivo: "NÃO VOS CONHEÇO". Podemos dizer que estas nada tinham a ver com os do Senhor? Não! Elas eram também virgens. Também tinham lâmpadas com azeite que foi se esgotando. Como nos textos anteriores, estas também foram negligentes, não fizeram a devida preparação para  encontrar com Aquele a "quem teremos de prestar contas". ( Hb 4: 13). Sofreram a triste consequência do descaso: apartadas do Noivo.

Mateus 24: 45 a 51 (Lucas 12: 35 a 48) - É  um contraste entre um servo fiel e prudente e um mau servo que não aguarda com responsabilidade o regresso de seu Senhor. Seu destino será com os hipócritas, onde há choro e ranger de dentes.  

Mateus 25: 14 a 30 - A parábola dos talentos. Vemos que todos aos quais o senhor confiou seus bens eram servos. Um deles escondeu o que recebeu, não desenvolveu, não progrediu, muito menos se interessou em conhecer o seu senhor, imaginou-o erroneamene e assim sofreu as consequências de seu pouco caso.  Seu destino  é mui triste, é o do servo inútil: perder o que ganhou e ser lançado fora da presença de seu Senhor, onde há choro e  ranger de dentes. Tem muita semelhança com todos os outros textos anteriores, não é mesmo?

Marcos 4: 21 a 25 - Como é sério o que Jesus nos alerta: "...o que não tem, até o que tem lhe será tirado". Tratemos de desenvolver nossa salvação com temor e tremor. Não fiquemos fiados que uma vez salvos, sempre salvos, pois poderá haver um período horrendo de disciplina para que se aprenda a dar o devido valor no Presente (JESUS), concedido por Deus. Se não valorizarmos esta tão grande salvação, como escaparemos?   ( Hb 2: 3)

Lucas 12: 35 a 48 - Jesus nos fala do servo vigilante que será recompensado pela sua fidelidade e prudência. Fala também do servo indolente, que tendo a função de mordomo, ou seja, outros sevos sob sua responsabilidade, não dá importância ao cargo. Este, após o juízo, será castigado. O Senhor acrescenta a informação sobre muitos açoites ao que sabia da vontade de seu Senhor e não se aprontou. A esse muito foi dado, ou seja, alcançou uma posição de confiança, um líder, e por isso muito se lhe foi pedido. Poucos açoites àquele que não soube a vontade de seu Senhor e fez coisas dignas de reprovação.
 Eis aí a Justiça do Senhor em Seu julgamento. Tudo Ele faz perfeito e com retidão. A recompensa ou punição serão  proporcionais à oportunidade que se teve de conhecê-Lo enquanto peregrinos neste mundo.

Lucas 13: 22 a 30 -  Jesus fala claramente que devemos esforçar por entrar pela porta estreita. Ele não nos engana quanto à dificuldade da caminhada com Ele. Os que pensam que podem, irresponsavelmente, seguir Jesus, estão muito enganados. Serão lançados fora em um lugar de choro e ranger de dentes.


Lucas 19: 11 a 27 -   A parábola das minas. Da mesma forma, Jesus alerta sobre a condenação (v 22), como já vimos anteriormente, daquele que desconhece ao seu Senhor ( v. 21) e nem mesmo se interesssa em conhecê-Lo melhor. O senhor da parábola foi generoso doando de seus bens. É nosso Jesus, doando igualmente de Seu Espírito a nós, para O glorificarmos. Mas há aqueles que "estacionam" na caminhada, se tornam infrutíferos e, infelismente, receberão a dolorosa "recompensa".
Notamos também a diferença de tratamento com os INIMIGOS do nobre homem. Estes foram EXECUTADOS,  o que é diferente do castigo imposto ao servo mau. 

 João 5: 28 e 29 - Jesus nos fala sobre a ressurreição dos mortos no arrebatamento. Nesta ocasião acontecerá o tribunal de Cristo, somente para os da família da fé, os eleitos, quando os que tiverem feito o bem, ressuscitam para a vida mas, os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo. Todos os textos que vimos acima então neste contexto. Os que não responderam de forma grata a tão grande salvação, foram maus servos, serão julgados e punidos de forma justa, conforme  a dívida com o Senhor.  "...muitos açoites..., poucos açoites...", apartados da maravilhosa presença de Cristo, em um lugar de terrível tristeza pela ausência do SOL DA JUSTIÇA, JESUS. Daí as figuras que o Mestre usa: ranger de dentes, fogo inextinguível, verme não morre, trevas, inferno.

João 15: 2 e 6 -  Jesus nos diz que todo ramo que ESTANDO NELE, não der fruto, Ele o corta... No verso 6 diz "Se alguém não PERMANECER em Mim, será lançado fora...e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam". Se o ramo esteve Nele é porque  teve parte com Ele mas não sugou de Sua seiva, não se alimentou devidamente de Quem poderia nutri-lo, assim foi secando e por fim cortado e queimado. A mesma figura, usada em textos anteriores, do fogo como juízo.

I Coríntios 3: 10 a 15 - Paulo nos instruindo sobre um único fundamento: CRISTO JESUS e líderes espirituais construindo sobre este Fundamento. Vemos que aqueles que edificaram, tão preciosa construção, com material inapropriado como madeira, feno e palha, serão julgados com fogo, sofrerão dano mas serão salvos, enquanto que os bons costrutores receberão galardão.  Após termos vistos textos e contextos anteriores, agora podemos entender melhor o que o apóstolo Paulo nos diz.  

I Coríntios 11: 31 e 32 - Paulo nos adverte que se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. O cristão que não desenvolve sua salvação e é até capaz de participar da mesa do Senhor, a ceia, sem discernir o Corpo de Cristo,indolentemente, se torna réu ( v 27), e será por isso julgado após a ressurreição do corpo.  "Mas quando julgados somos DISCIPLINADOS pelo Senhor para não sermos condenados com o mundo".  O período de disciplina é justamente a misericórdia de Deus para que nao sejamos eternamente afatados Dele como o mundo o será.

Hebreus 3: 12 a 15 - Esta Palavra é bem esclarecedora quanto a nossa participação ativa em fidelidade para com o Senhor. Somos participantes de Cristo SE guardarmos ATÉ O FIM a confiança. O "Hoje, se ouvirdes Sua voz..." é o Hoje agora,  Hoje já, Hoje constante até o último suspiro de nossa vida aqui neste mundo. Não é apenas o dia de nossa conversão. Se não permanecermos Nele...as trevas nos esperam.   

Hebreus 6: 4 a 8 - O autor nos orienta sobre alguém que se tornou participante de Cristo, como lá em João 15: 2 e 6, e o compara à terra que recebe frequentemente a chuva (regado pelo Espírito). Em vez de responder com bons frutos, responde com espinhos e abrolhos. Qual a consequência? É rejeito, maldito e seu fim é ser queimado. Caiu da Graça (6: 6 e 4: 11), mas não perde a salvação. Será julgado, como já vimos, até pagar sua dívida.

Hebreus 10: 26 a 31 - "...deliberadamente em pecado, depois de ter recebido o PLENO CONHECIMENTO DA VERDADE". O que, alguém como na condição  acima, pode esperar? "Expectação horrível de juízo e fogo vingador..."; "...o Senhor julgará o SEU POVO" ( v. 30).

Apocalipse 2: 11 - Jesus está  alertando a Igreja de Esmirna  para ser fiel até à morté física, se fosse necessário, para receber a coroa da vida. Diz também que o vencedor não sofrerá o DANO da segunda morte. Sabemos que a segunda morte é ser banido da Presença de Deus eternamente, o lago de fogo ( Ap 20: 14). O DANO dela é ser banido, por um tempo, no inferno, da Presença Dele, onde há choro e ranger de dentes, como já vimos anteriormente. 

Apocalipse 3: 1 a 6 - Jesus está falando à Igreja de Sardes. No verso 4 Ele fala sobre pessoas que ainda não contaminaram suas vestiduras e portanto terão sua recompensa: andarão de branco com Ele. Mas, nas entrelinhas, entendemos que outras que tinham vestiduras brancas não mais as tem  e sim contaminadas. O Senhor virá repentinamente CONTRA ELAS ( v. 3). São dois grupos de pessoas dentro da igreja: as que são fiéis e as que não permaneceram em fidelidade a Cristo e daí estarem com as vestes sujas.

Mateus 7: 15 a 23 -"Nem todo o que me diz Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai...". Nos é dito em  Apocalipse 20: 1 a 6 que a Igreja reinará com Cristo por mil anos. Este é o Reino do Senhor onde muitos não vão poder tomar parte. Tarde demais perceberam quão triste foi viver a vida cristã despreocupadamente, descomprometidamente. Não produziram o devido fruto como era esperado deles, ao contrário, produziram espinhos e abrolhos. Este texto de Mateus, mais uma vez, nos diz que serão apartados do Senhor os que praticam iniquidade. O v 19 confirma o texto de João 15: 2 e 6, já citado acima: "toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo".  

Mateus 12: 32 - Jesus diz sobre o pecado contra o Espírito Santo, o único que não terá perdão nem neste mundo nem no porvir. Então, podemos entender que o período de tratamento do Senhor, ou seja,as trevas, o ranger de dentes, o fogo, o choro, como Ele mesmo falou, na vida daqueles que foram desobedientes na caminhada cristã, é por tempo determinado e para haver, no fim, o perdão, pois o dom de Deus, a salvação,  é irrevogável.

Por que a igreja Católica "criou" o Purgatório? Porque ela tomou VERDADES  do Evangelho do Senhor e  as comercializou. Ela deturpou, adulterou os ensinos dos apóstolos. A Palavra está tão clara, explícita, quanto a uma DISCIPLINA do Senhor quando no julgamento do Tribunal de Cristo.  Mas, transformar as revelações de nosso Mestre em lucro financeiro é realmente absurdo e herético. 
Nós, os da reforma, abominamos o purgatório e ficamos então no outro extremo? Uma vez salvo, sempre salvo? É verdade! Mas, não podemos omitir o que Jesus declara quanto ao julgamento de nossa conduta após abraçarmos a salvação que Ele,  ao preço de Sua humilhação, dor, vergonha, sofrimento e morte, nos concede GRATUITAMENTE. Se formos responsivos a tão grande salvação teremos galardão mas, se ao contrário, como as virgens néscias, os servos maus dos talentos e minas, etc, formos negligentes, há a expectativa horrível de juízo e fogo, ( Hb 10: 27). 

Esta palavra não é para nos desanimar. Pelo contrário, é para nos incentivar a correr, o melhor que pudermos, a carreira cristã. Com alegria, com determinação, abandonando todo peso e pecado, não tirando os olhos do Alvo: Jesus nosso Senhor! Amando os irmãos, a comunhão com eles, exortando-nos dia após dia. Enfim, não amando o mundo e sim o Senhor e Seu reino, consequentemente daremos bons frutos para a glória Dele. 

Como disse no início. Não precisam levar em conta as minhas considerações. Prestem atenção somente no que Jesus nos diz. Leiam e releiam, muitas vezes, tão somente os textos acima. Fiquem com a Bíblia, a Palavra inerrante de Deus. Isto basta!

Espero que não precisemos de outro "Lutero" para nos fazer relembrar verdades esquecidas , para não dizer omitidas, da Palavra do Senhor. A Bíblia está exposta confortavelmente diante de nossos olhos. Leiamos então. 

Que Deus nos abençoe e seja misericordioso para conosco! Amém!!! 

quinta-feira, 19 de maio de 2011

"...UMA PORTA ABERTA..." Ap 3: 8

Pedro estava no cárcere, guardado por quatro escoltas de quatro soldados. Ele dormia quando surgiu inesperadamente uma "porta aberta". Um anjo o despertou e as cadeias cairam de suas mãos. Foi levado, pelo mesmo anjo, até à saída, o portão de ferro se abriu automaticamente e o apóstolo se viu livre da prisão. (Atos 12: 1 a 11)

Deus diz à igreja em Filadélfia,  Apocalipse 3: 8, que colocaria uma porta aberta para os seus amados a qual ninguém pode fechar.

É interessante vermos esta mesma "porta aberta" na experiência de Paulo e Silas em Filipos.

Eles foram, depois de açoitados, lançados no cárcere interior com os pés presos no tronco. Por volta da meia noite houve tal terremoto que sacudiu os alicerces da prisão, abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos. Eles estavam livres, poderiam fugir...

mas... esta não foi a atitude dos servos de Deus. Eles tinham uma porta aberta, não para fuga, mas para anunciar o Evangelho do Senhor a uma família inteira, a família do carcereiro a qual ganharam para Jesus. 

Que discernimento do servo de Deus! Que dependência da orientação do Espírito!

Naturalmente falando era o momento de aproveitar a oportunidade  e correr para a liberdade. Não era Deus quem estava provendo esta situação?

O cristão maduro enxerga mais longe, se deixa ser levado pela influência do Santo Espírito e consequentemente angaria lucro para o reino de Deus.

Paulo não viu  seus ferimentos,  as cadeias, nem mesmo o tronco, viu apenas uma alma angustiada querendo salvação imediata. Esta era a porta aberta para o servo do Senhor que ninguém fecharia.

Quando o viver de Cristo está impregnado em nós, sabemos fazer as escolhas certas. Discernimos a "porta aberta" ainda que ela não gere o nosso próprio conforto e alívio. A paz e certeza de estar fazendo o que traz prazer ao Pai é a nossa recompensa.

Entendemos então que nem sempre esta porta se abrirá para a nossa imediata satisfação; embora livres, permaneceremos ainda no ambiente da prisão    para  sermos instrumentos de Deus na libertação de outros. 

Voltando ao texto de apocalipse, no verso 9, Deus promete à esta fiel igreja em Filadélfia, que os inimigos  viriam, se prostrariam perante ela e conheceriam que o Senhor a amava.

Será que a "porta aberta" para Paulo se fechou visto que ele não teve pressa em sair? Não! Deus disse que esta porta ninguém pode fechar. 

O amor do apóstolo pela família que acabara de ganhar para o Senhor foi mais forte do que por si mesmo. Ele precisava ficar naquele recinto para que o carcereiro não fosse punido pelos seus superiores. 

 De repente veio a ordem de soltura para os servos do Altíssimo: _"Põe aqueles homens em liberdade". Foi quando Paulo exigiu que viessem os pretores pessoalmente libertá-los. Isto veio a  acontecer e ainda com pedido de desculpas.    

Vejam que maravilha o cuidado do Pai para com os seus amados.
Sua Palavra é fiel. Ele vela por ela para a cumprir.

Entendamos sobre a "PORTA ABERTA". Que o Senhor nos esclareça a cada nova situação. Que nos comportemos exatamente como ele deseja, para Sua glória, nossa libertação e de outros. Amém!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

"ERRAIS NÃO CONHECENDO AS ESCRITURAS" Mt 22: 29

COM MUITA TRISTEZA FICAMOS SABENDO, PELA TV, QUE ALGUMAS PESSOAS, AQUI NO BRASIL, RASGARAM DINHEIRO, DOCUMENTOS E SAÍRAM EM DIREÇÃO AO ARREBATAMENTO.

ELAS FORAM ORIENTADAS POR PESSOAS QUE SABEM APENAS FRAGMENTOS DA PALAVRA DE DEUS E NÃO TEXTO E CONTEXTO. 

COMO ESTAS VÍTIMAS DA IGNORÂNCIA DAS ESCRITURAS, EXISTEM MUITOS OUTROS CRISTÃOS QUE LÊEM A BÍBLIA PREGUIÇOSAMENTE.  ESTES IRMÃOS TAMBÉM CORREM GRANDE RISCO DE IREM APÓS ORIENTAÇÕES FALSAS DE FALSOS LÍDERES.  TOMAM ATITUDES SEM A APROVAÇÃO DE DEUS E CONSEQUENTEMENTE SÃO MOTIVO DE ESCÂNDALOS.

LEIAMOS A PALAVRA COM MAIS AFINCO. PROCUREMOS SABER O QUE DEUS JÁ NOS TEM PREDITO DE FORMA CLARA E QUAL DEVE SER NOSSO COMPORTAMENTO DIANTE DE TUDO QUE TEMOS VISTO ACONTECER NO PLANETA TERRA.

JESUS NOS ORIENTA A NOS CONDUZIR COM SABEDORIA. SEJAMOS ENTÃO LÚCIDOS, CONSCIENTES, EQUILIBRADOS, SENSATOS E AGUARDEMOS COM GRANDE EXPECTATIVA O REGRESSO DE NOSSO AMADO SENHOR JESUS.

 MARANATA!!! ORA VEM SENHOR JESUS! AMÉM!